Trabalho jornalístico e mundialização

Problemas teórico-metodológicos

  • Jacques Mick

Résumé




A sensibilidade da teoria dos campos sociais às particularidades da constituição do habitus profissional dos jornalistas em cada nação deve nos conduzir à constatação da impossibilidade de comparações internacionais ou a um modo específico de realizá-las? Para refletir sobre essa questão, o artigo toma como objeto estudos comparados sobre a profissão de jornalistas que se proliferaram na última década. Desde o importante mapeamento de Hallin e Mancini analisando modelos de sistemas midiáticos de 18 países, em 2004, e sua revisão autocrítica em 2012, várias iniciativas expandiram a pesquisa internacional. Os projetos The Worlds of Journalism e Journalistic Role Performance around the Globe (ambos em andamento) seguiram pistas dos estudos pioneiros de David Weaver e tentam comparar, respectivamente, diferentes culturas profissionais e distintos padrões de relação entre as práticas e os papeis que orientam a atuação dos jor- nalistas. Tais estratégias partem de premissas semelhantes: em geral, elaboram tipos ideais de jornalismo (modelos) a partir dos quais estruturam pesquisas comparativas funcionalistas. A partir da crítica aos limites de tais estudos, explora-se, com base em perspectivas bourdieusianas sobre o campo, a pertinência de aperfeiçoar as investigações comparativas, sob uma perspectiva aberta às diferenças entre as práticas jornalísticas, ou seja, fora de um horizonte normativo. Com esse objetivo, cinco sugestões de caráter teórico-metodológico são apresentadas ao final do estudo: a) aperfeiçoar a cooperação entre as equipes inter- nacionais de pesquisa; b) adensar a interpretação dos dados obtidos com o trabalho de campo, focando sobretudo nas razões para as práticas díspares encontradas nas diversas comunidades jornalísticas estudadas; c) incorporar categorias nativas no esforço de traduzir indicadores ou variáveis a uma linguagem compreensível para as fontes; d) diversificar as fontes de dados em seis dimensões sugeridas para a investigação e e) adotar vários tipos de mídias jornalísticas como objeto de estudo, para tentar evitar a reificação das práticas observadas no jornalismo impresso.


Publication
2017-12-14
Comment citer
MICK, Jacques. Trabalho jornalístico e mundialização. Sur le journalisme, About journalism, Sobre jornalismo, [S.l.], v. 6, n. 2, p. 68-81, déc. 2017. ISSN 2295-0729. Disponible à l'adresse : >https://surlejournalisme.com/rev/index.php/slj/article/view/318>. Date de consultation : 21 mars 2019